Mulheres Sertanópolis - GO

Ana Halden

Esse foi o segundo ensaio que fiz da Ana!

Na primeira vez, ela nem queria ser fotografada kkkk deu de presente pra uma amiga mas falava pra si mesma que isso não era pra ela!

No meu último dia ela decidiu fazer, na casa dela mesmo, tomando uns drinks bem relaxada!

Pronto! O vício estava posto! hahaha

Nessa segunda experiência ela me levou pra um dos lugares mais incríveis que já fotografei... uma pousada no interior de Goiás com pinturas rupestres e uma nascente escandalosa de linda!

Foi ooooutra coisa!

Ela já estava muito mais confiante com seu corpo e com a experiência como um todo! Arriscamos até umas fotos nuas... que evolução!


Sou grata demais por poder impactar a vida das mulheres dessa forma!

E o feedback que ela me mandou depois, me deixou sem palavras!

Saca só...


"Não me ver como uma mulher bonita moldou a minha personalidade de certa forma. Tentava compensar esse “defeito” de diversas maneiras e a timidez sempre foi minha parceira. Acreditava que os caminhos para driblar uma baixa auto estima seriam dolorosos e muito longos, talvez inalcançáveis pra mim. Ano passado me surgiu uma proposta de pessoas, até então, desconhecidas que pra mim virou motivo de chacota: como assim eu tirar foto? Como assim eu ficar posando?
Decidi dar uma olhada no perfil da fotógrafa e meu deboche mental continuou: aaah tá que vou tirar a roupa. Aaah tá que vou fazer com essa proposta natureba. Achei as fotos lindas, é claro, mas não eram pra mim. Tirar essas fotos, até então, era me expor de uma maneira que eu evitava há vinte anos. Decidi chamar a Ju pra fotografar uma amiga que merecia se sentir linda, daquela maneira que vi nas fotos e em uma conversa me soltam: e você, não merece?
Decidi que eu merecia e morrendo de medo e vergonha chamei a Ju no whatsapp e começamos nossa conversa. No dia das fotos alguns muitos copos de whiskey. A sessão foi incrível! Fiz no meu quarto pra me sentir confortável, conversamos e rimos horrores. O pós foto é que eu estava com medo. Tinha medo de encarar o que, pra mim, deveria ficar escondido até de mim mesma. E quando saíram fiquei surpresa de olhar pra mim com o mesmo carinho que olhei tantas vezes pras fotos incríveis no perfil da Ju.
A mudança interna foi tanta que postei todas, uma pacto (e um carinho) que fiz comigo mesma.  Meu processo de auto amor começara ali.
Enquanto escrevo, espero o resultado da minha segunda sessão, essa sem whiskey, sem maquiagem, sem cabelo feito e algumas fotos até sem roupa - uma mudança grande da primeira sessão. A ansiedade para ver essas fotos também não se compara, estou ansiosa para me enxergar, me explorar e me sentir.
As fotos foram de certa forma terapêuticas e como toda terapia, a busca pelo auto amor é um processo, e bem menos doloroso e longo do que eu imaginava."


Que honra não?!